Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DI-ariamente

Don't be afraid of anything ūü§ó

DI-ariamente

Don't be afraid of anything ūü§ó

"Rabanadas"

Catarina Lopes Garcia, 13.01.20

J√° passaram as √©pocas festivas e eu ainda n√£o tinha feito nada "adequado" a essas alturas, mas rabanadas sabem bem em qualquer altura do ano. Todos os dias vejo um programa de cozinha onde fazem coisas maravilhosas, mas testar e adaptar todas as receitas que gosto √© complicado, n√£o pode ser tudo de uma vez, e tenho de pensar em alternativas mais adequadas, felizmente agora j√° h√° muitos cozinheiros que optam por alimenta√ß√Ķes mais saud√°veis e ent√£o, torna-se muito mais f√°cil. "My Cusine" e "24 Kitchen" s√£o dos canais que mais vejo e dos quais me surgem mais ideias, mas enfim, vamos ao que interessa¬†.¬†

O que posso dizer sobre estas Rabanadas; -não são fritas em gordura nenhuma, não são assadas no forno (que por norma se não forem bem demolhadas, ficam secas) e não levam nenhum tipo de açucar refinado. São super fáceis de fazer e podem ser "recheadas" com o que quiserem (não consegui rechear como queria porque o pão era muito fresco). Vou deixar aqui a receita conforme fiz, mas podem adaptar ás quantidades que quiserem.

Ingredientes: 

  • 2 Fatias (pequenas) de p√£o
  • Mirtilos e Framboesas (a gosto, deve ficar bom com qualquer fruta, mas ainda s√≥ experimentei com mirtilos e framboesas)
  • 1 ovo
  • metade de uma banana
  • Mel (opcional)

Preparação: Basta juntar o ovo com a banana (amassada), molhar as fatias de pão nessa mistura e deixar um pouco a absorver, para não secar; A seguir basta colocarem as fatias numa frigideira e deixar apanhar uma cor; Por fim, na mesma frigideira coloquei os frutos vermelhos até ficar um liquido e verti por cima das rabanas. Podem adicionar um fiozinho de mel e estão prontas.  

received_2459868890999421.jpeg

Uma boa semana para todos  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                                                      Catarina 

                                                                          

Irm√£

Catarina Lopes Garcia, 04.01.20

Eu podia escrever muito sobre a minha irm√£, mas h√° coisas t√£o nossas, que partilh√°-las aqui seria "estragar" o qu√£o especial ela √© para mim (ela vai achar isto muito lamechas porque eu n√£o sou muito destas coisas, mas de vez em quando n√£o faz mal nenhum relembrar a import√Ęncia que algu√©m tem na nossa vida). Contudo, hoje, e um pouco porque ela foi pedindo sempre para falar dela (na brincadeira, mas porque n√£o?), decidi escrever um pouco sobre o que √© ter uma irm√£.¬†

Ter uma irmã é ter parte da nossa alma numa outra metade, é saber que não caminhamos mais sozinhos e que por mais que os caminhos sejam diferentes, existe um caminho que nos será sempre comum. O caminho para a nossa "casa". E a nossa casa será sempre o espaço que recordamos, de todas as memórias vividas em conjunto. As boas e as menos boas. As correrias, as gargalhadas, as macacadas típicas da idade, as parvoíces e as conversasa que nem nós sabemos as suas finalidades. Enfim, coisas nossas. 

Ter uma irm√£ √© saber partilhar, imaginem ter uma g√™mea, como eu, mesmo que n√£o queiram partilhar, t√™m de o fazer¬†, √© saber ser sincera, √© saber o verdadeiro significado de prote√ß√£o. √Č proteg√™-la com unhas e dentes e saber que ela faria o mesmo por ti, mesmo que tu n√£o tenhas raz√£o.

√Č conseguir rir e chorar no mesmo dia, √© discutir com ela e saber que passados uns minutos tudo volta ao normal.

Ter uma irm√£ √© uma coisa que vai muito al√©m. √Č algu√©m que nasce e que nos fica guardado para sempre. Algu√©m que te vai dizer aquilo que tu precisas ouvir e que nem por isso te quer mal, pelo contr√°rio. √Č saber que n√£o preciso de lhe dizer o quanto a amo todos dos dias, mas que isso √© uma certeza infinita na nossa vida.

Por tudo, pelas nossas verdades, pela continuação desta caminhada, pela nostalgia das coisas que faziamos, pelos sorrisos, pelas noites de palhaçada, e por muito do que os nossos silêncios e olhares escondem, por serem só nossos! 

Ter uma irmã, é ter o maior sentimento incondicional do mundo, por um ser tão especial, que é uma grande parte de nós.

Vamos caminhar sempre jintas, nunca duvides disso. Não mudes por nada nem por ninguém, e nunca percas essa tua alegria contagiante que tens dentro de ti!

Amo-te mana, sê feliz   

Baseado https://instagram.com/nunca_desistas_de_ti?igshid=91ql7vwgtyr

PhotoEditor_20190828_135058345.jpg

 

A Espreitar 2020

Catarina Lopes Garcia, 30.12.19

Ol√° malta, antes de mais,espero que tenham passado um √≥timo natal, cheio de coisas boas, de prefer√™ncia¬†. Estamos quase quase a acabar o ano de 2019 e queria agradecer a todos os que andaram por aqui nestes √ļltimos meses; queria agradecer pelo apoio que t√™m dado, pelos coment√°rios que tenho recebido e pelo maravilhoso feedback que da vossa parte chega at√© mim, nunca pensei que iria ser assim t√£o positivo, fico muito feliz por isso e por saber que gostam do conte√ļdo. Em 2020 vou continuar a escrever sobre o mesmo, mas v√£o tamb√©m surgir novos conte√ļdos, aqui por casa pedem que "renove" e assim farei.¬†

Espero que estejam de bra√ßos abertos, como eu, para receber o novo ano que j√° est√° √° espreita, e acreditem que o melhor est√° sempre por vir.¬†¬†2019¬†foi um ano de aprendizagem e de novas li√ß√Ķes, foi um ano rodeado de pessoas que me querem o bem e que estiveram comigo sempre, nos dias bons e nos dias menos bons, pessoas que torceram comigo pelas minhas vit√≥rias e que me ajudaram a ser melhor apontando-me o caminho certo. Tudo isto para vos dizer mais uma vez que estarei eternamente grata por todo o apoio que me d√£o desde o meu √≠nicio.

Sejam felizes e tenham umas ótimas entradas em 2020.

Bom Ano, O Melhor Está Sempre Por Vir  

 

 

 

"DESABAFO"

Catarina Lopes Garcia, 16.12.19

Descobri que tinha uma "doença" que desconhecia. Saí do hospital a ter noção de que ia enfrentar um mundo novo, que provavelmente nem sabia ao certo qual era. Não sabia o que fazer, nem como iria cuidar de mim e da diabetes dali para a frente. Por outro lado tinha a perfeita noção de que apoio não me ia faltar, felizmente, e que tudo ia correr bem, e assim foi!

Houve dias em que perguntei "porquê a mim?", "o que é que eu fiz para merecer isto?",...tanta coisa me passou pela cabeça, coisas que, provavelmente, também vocês já pensaram.

Com o passar do tempo eu fui aprendendo, aprendi a viver sem qualquer tipo de proibi√ß√Ķes, aprendi que posso viver como cada um de voc√™s, que n√£o tenha diabetes, e n√£o viver como uma pessoa "normal", porque n√£o existem pessoas anormais, cada pessoa √© √ļnica com a sua diferen√ßa, com as suas manias, com o seu jeito... Aprendi a viver bem e descobri o que a diabetes trouxe de bom na minha vida, aprendi a controlar hor√°rios, a ter mais responsabilidade comigo e com ela, aprendi a cuidar de mim, porque se eu n√£o cuidasse mais ningu√©m o faria e , ao chegar a esse ponto as complica√ß√Ķes iriam come√ßar a surgir.

Toda a gente, diabética ou não, passa por dificuldades. A diabetes pode ser um "bicho de sete cabeças" ou, pode também, ser a coisa mais simples do mundo , só depende de nós e de como a queremos ver. Podemos vê-la como nossa amiga ou como nossa inimiga. Eu preferi torná-la minha amiga .

Achares que a diabetes é a pior coisa da vida, ou que a vida é injusta, não adianta de nada e também não vai mudar nada.

Uma coisa é certa, a diabetes não me define, nem é o mais importante da minha vida, mas foi ela que fez de mim quem eu sou hoje e de certa forma isso é muito importante para mim.

N√£o fiques parado/a a rejeitar a diabetes porque, por pior que ela seja, vai sempre fazer parte de ti.

Luta por ela, mas acima de tudo, luta por ti. Não desistas só porque o dia de ontem foi melhor que o de hoje, altos e baixos fazem parte.

Luta por mais e luta por melhor, e lembra-te¬†"TU √ČS MELHOR QUE O TEU DIAGN√ďSTICO!"¬†¬†

Sê feliz                                      CatarinaFB_IMG_1562995110096.jpg

Melhor Maneira de Encarar a Diabetes

Catarina Lopes Garcia, 08.12.19

Olá malta, hoje, mais uma vez, decidi escrever um pouquinho sobre a diabetes, porque aproxima-se o Natal e as próximas semanas vão ser para testar receitas e coisinhinhas para comer no Natal "sem culpa" . Agora vamos ao que interessa 

Não foi, de todo, fácil aceitar a Diabetes logo nos primeiros dias, foi díficil ver a minha vida mudar de uma hora para a outra, rotinas diferentes, hábitos "diferentes", tudo diferente, só o facto de pesar os hidratos de carbono antes de poder comer... bem isso deu cabo de mim , mas cá estou, ultrapassei aquela fase "má", de aceitação, comecei a lidar muito bem com as mudanças, super tranquila, e aos poucos a diabetes não passava , simplesmente, de uma nova aliada, de uma nova amiga e de uma coisa "boa" que me aconteceu. Mas como é que uma "doença" pode ser considerada uma coisa boa?!, se repararem, em todos os meus posts acerca da diabetes, sempre que escrevo "doença" faço-o entre aspas, porque para mim não se trata de uma doença, porque se houver controlo e motivação , a diabetes não passa de uma amiga, é uma companheira para a vida, e são tantas as coisas boas que ela me proporciona.

Não é a diabetes que me vai impedir de ser quem sou, muito menos de fazer aquilo que quero fazer. Temos de aceitar aquilo que somos e , apesar deste "probleminha", que na minha opinião não afeta em nada aquilo que somos, mas que até nos ajuda a sermos mais humanos, para podermos ajudar outras pessoas que têm outros problemas piores ou semelhantes aos nossos.

N√£o devemos fugir das nossas obriga√ß√Ķes, tentando esconder-nos ou complicando as coisas a ponto de nos prejudicar-mos. Podemos tornar tudo t√£o simples, aceitando a nossa condi√ß√£o de "diab√©ticos", fazer tuo direitinho, seguir as orienta√ß√Ķes m√©dicas dos profissionais que nos ajudam, e √© l√≥gico, adotar uma postura positiva e otimista perante as dificuldades que possam aparecer.

Ser diab√©tica com "D" grande √© encarar as dificuldades com coragem. √Č preciso ter motiva√ß√£o e for√ßa de vontade. Ser diab√©tico √© saber aceitar desafios sem medo.

√Č normal que tenhas medo, mas respira fundo e continua, mesmo com medo. Vai sempre com a certeza de que se fizeres a tua parte, tudo fica bem!

Não deixes que a diabetes se sobreponha á tua verdadeira essência. Aprende a conviver com ela, encara-a como algo normal.

Sê aquilo que és, deixa o que existe de mais importante em ti sobressair. Assim, vais viver tudo o que a vida tem de bom para te oferecer. 

Bem, e por hoje é isto, espero que nunca desistam daquilo que querem e nunca deixem que nenhum diagnóstico vos abale. 

received_2534596573518182.jpegSejam felizes!                

Catarina