Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DI-ariamente

Don't be afraid of anything ūü§ó

DI-ariamente

Don't be afraid of anything ūü§ó

A Espreitar 2020

Catarina Lopes Garcia, 30.12.19

Ol√° malta, antes de mais,espero que tenham passado um √≥timo natal, cheio de coisas boas, de prefer√™ncia¬†. Estamos quase quase a acabar o ano de 2019 e queria agradecer a todos os que andaram por aqui nestes √ļltimos meses; queria agradecer pelo apoio que t√™m dado, pelos coment√°rios que tenho recebido e pelo maravilhoso feedback que da vossa parte chega at√© mim, nunca pensei que iria ser assim t√£o positivo, fico muito feliz por isso e por saber que gostam do conte√ļdo. Em 2020 vou continuar a escrever sobre o mesmo, mas v√£o tamb√©m surgir novos conte√ļdos, aqui por casa pedem que "renove" e assim farei.¬†

Espero que estejam de bra√ßos abertos, como eu, para receber o novo ano que j√° est√° √° espreita, e acreditem que o melhor est√° sempre por vir.¬†¬†2019¬†foi um ano de aprendizagem e de novas li√ß√Ķes, foi um ano rodeado de pessoas que me querem o bem e que estiveram comigo sempre, nos dias bons e nos dias menos bons, pessoas que torceram comigo pelas minhas vit√≥rias e que me ajudaram a ser melhor apontando-me o caminho certo. Tudo isto para vos dizer mais uma vez que estarei eternamente grata por todo o apoio que me d√£o desde o meu √≠nicio.

Sejam felizes e tenham umas ótimas entradas em 2020.

Bom Ano, O Melhor Está Sempre Por Vir  

 

 

 

"DESABAFO"

Catarina Lopes Garcia, 16.12.19

Descobri que tinha uma "doença" que desconhecia. Saí do hospital a ter noção de que ia enfrentar um mundo novo, que provavelmente nem sabia ao certo qual era. Não sabia o que fazer, nem como iria cuidar de mim e da diabetes dali para a frente. Por outro lado tinha a perfeita noção de que apoio não me ia faltar, felizmente, e que tudo ia correr bem, e assim foi!

Houve dias em que perguntei "porquê a mim?", "o que é que eu fiz para merecer isto?",...tanta coisa me passou pela cabeça, coisas que, provavelmente, também vocês já pensaram.

Com o passar do tempo eu fui aprendendo, aprendi a viver sem qualquer tipo de proibi√ß√Ķes, aprendi que posso viver como cada um de voc√™s, que n√£o tenha diabetes, e n√£o viver como uma pessoa "normal", porque n√£o existem pessoas anormais, cada pessoa √© √ļnica com a sua diferen√ßa, com as suas manias, com o seu jeito... Aprendi a viver bem e descobri o que a diabetes trouxe de bom na minha vida, aprendi a controlar hor√°rios, a ter mais responsabilidade comigo e com ela, aprendi a cuidar de mim, porque se eu n√£o cuidasse mais ningu√©m o faria e , ao chegar a esse ponto as complica√ß√Ķes iriam come√ßar a surgir.

Toda a gente, diabética ou não, passa por dificuldades. A diabetes pode ser um "bicho de sete cabeças" ou, pode também, ser a coisa mais simples do mundo , só depende de nós e de como a queremos ver. Podemos vê-la como nossa amiga ou como nossa inimiga. Eu preferi torná-la minha amiga .

Achares que a diabetes é a pior coisa da vida, ou que a vida é injusta, não adianta de nada e também não vai mudar nada.

Uma coisa é certa, a diabetes não me define, nem é o mais importante da minha vida, mas foi ela que fez de mim quem eu sou hoje e de certa forma isso é muito importante para mim.

N√£o fiques parado/a a rejeitar a diabetes porque, por pior que ela seja, vai sempre fazer parte de ti.

Luta por ela, mas acima de tudo, luta por ti. Não desistas só porque o dia de ontem foi melhor que o de hoje, altos e baixos fazem parte.

Luta por mais e luta por melhor, e lembra-te¬†"TU √ČS MELHOR QUE O TEU DIAGN√ďSTICO!"¬†¬†

Sê feliz                                      CatarinaFB_IMG_1562995110096.jpg

Melhor Maneira de Encarar a Diabetes

Catarina Lopes Garcia, 08.12.19

Olá malta, hoje, mais uma vez, decidi escrever um pouquinho sobre a diabetes, porque aproxima-se o Natal e as próximas semanas vão ser para testar receitas e coisinhinhas para comer no Natal "sem culpa" . Agora vamos ao que interessa 

Não foi, de todo, fácil aceitar a Diabetes logo nos primeiros dias, foi díficil ver a minha vida mudar de uma hora para a outra, rotinas diferentes, hábitos "diferentes", tudo diferente, só o facto de pesar os hidratos de carbono antes de poder comer... bem isso deu cabo de mim , mas cá estou, ultrapassei aquela fase "má", de aceitação, comecei a lidar muito bem com as mudanças, super tranquila, e aos poucos a diabetes não passava , simplesmente, de uma nova aliada, de uma nova amiga e de uma coisa "boa" que me aconteceu. Mas como é que uma "doença" pode ser considerada uma coisa boa?!, se repararem, em todos os meus posts acerca da diabetes, sempre que escrevo "doença" faço-o entre aspas, porque para mim não se trata de uma doença, porque se houver controlo e motivação , a diabetes não passa de uma amiga, é uma companheira para a vida, e são tantas as coisas boas que ela me proporciona.

Não é a diabetes que me vai impedir de ser quem sou, muito menos de fazer aquilo que quero fazer. Temos de aceitar aquilo que somos e , apesar deste "probleminha", que na minha opinião não afeta em nada aquilo que somos, mas que até nos ajuda a sermos mais humanos, para podermos ajudar outras pessoas que têm outros problemas piores ou semelhantes aos nossos.

N√£o devemos fugir das nossas obriga√ß√Ķes, tentando esconder-nos ou complicando as coisas a ponto de nos prejudicar-mos. Podemos tornar tudo t√£o simples, aceitando a nossa condi√ß√£o de "diab√©ticos", fazer tuo direitinho, seguir as orienta√ß√Ķes m√©dicas dos profissionais que nos ajudam, e √© l√≥gico, adotar uma postura positiva e otimista perante as dificuldades que possam aparecer.

Ser diab√©tica com "D" grande √© encarar as dificuldades com coragem. √Č preciso ter motiva√ß√£o e for√ßa de vontade. Ser diab√©tico √© saber aceitar desafios sem medo.

√Č normal que tenhas medo, mas respira fundo e continua, mesmo com medo. Vai sempre com a certeza de que se fizeres a tua parte, tudo fica bem!

Não deixes que a diabetes se sobreponha á tua verdadeira essência. Aprende a conviver com ela, encara-a como algo normal.

Sê aquilo que és, deixa o que existe de mais importante em ti sobressair. Assim, vais viver tudo o que a vida tem de bom para te oferecer. 

Bem, e por hoje é isto, espero que nunca desistam daquilo que querem e nunca deixem que nenhum diagnóstico vos abale. 

received_2534596573518182.jpegSejam felizes!                

Catarina 

 

                                                                                                                                                                             

A Descoberta

Catarina Lopes Garcia, 01.12.19

Fui adiando este tema porque não queria muito lembrar-me daqueles dias terríveis que passei no hospital. Mas a verdade é que já passou e para quê adiar mais?!

Com 16 anos de idade, em Abril de 2018, descobri que tinha diabetes tipo 1. No dia antes de ter ido para o hospital a minha m√£e fez-me 5 testes de glic√©mia para perceber o porqu√™ de a glicose estar t√£o alta. Mas a verdade √© que j√° h√° quase 2 meses que andava com sintomas estranhos e sabia que aquilo n√£o era normal mas, na minha "ignor√Ęncia" nunca pensei no que poderia ser. Eu tinha muita sede, cansa√ßo, vontade constante de ir √° casa de banho, tinha muito sono, coisas "anormais", eu quase n√£o dormia porque era t√£o frequente o ir beber √°gua e ir a correr para a casa de banho que nem tempo tinha de dormir... No dia seguinte, ter√ßa-feira, l√° fui eu at√© √°s urg√™ncias do hospital com a minha m√£e para saber o que realmente se passava comigo.

Quando me disseram "Pode esperar ali fora, vamos ter de fazer uns exames e análises mas isto é Diabetes Tipo 1"; bem aquilo caiu muito mal, sentei-me na cadeira, desatei a chorar e pensei, o que vai ser de mim daqui para a frente?!.

N√£o precisei de muito para descobrir, passei essa noite nas urg√™ncias, cheia de fios, dormir nem pensar, tinha constantemente enfermeiras a ir ter comigo, n√£o sei bem explicar, ainda estava meia "√° toa" com tudo o que se passava. Nessa noite o melhor foi mesmo aquele golo que o Ronaldo marcou √° Juventus na Liga dos Campe√Ķes¬†¬†.

Apesar da "gravidade" da situa√ß√£o, a recupera√ß√£o foi r√°pida e, no espa√ßo de uma semana estava em casa. Mas mal eu sabia que o melhor ainda estava longe de vir... Uma transforma√ß√£o come√ßava a acontecer. Houve um grande impacto. Tudo muito novo, aplica√ß√Ķes de insulina, medi√ß√Ķes regulares de glic√©mia, a meu ver, demasiada informa√ß√£o num curto espa√ßo de tempo.

Precisei de um tempo de reflexão até chegar á conclusão de que, já que tive uma "nova" oportunidade de viver, por assim dizer, eu tinha de tentar viver da melhor maneira que conseguisse.

Quando me perguntam como foi o come√ßo, a descoberta, eu digo que, foi sem d√ļvida um pesadelo. N√£o √©, de todo, o que penso hoje, mas naquele momento nada fazia sentido. Tive uma semana angustiante e n√£o queria pensar no que ia acontecer dali para a frente, n√£o sabia como seria a minha vida fora do hospital, eu n√£o estava informada sobre o assunto, n√£o sabia o que era Diabetes Tipo 1, foi horr√≠vel. A falta de informa√ß√£o foi, sem d√ļvida, a maior causa do p√Ęnico que senti ali dentro. N√£o foi f√°cil lidar com aquilo, custou imenso e doeu, eu estava assustada e tinha medo, o que mais me poderiam dizer que eu n√£o sabia....

Com o passar do tempo, com a informação que ia procurando saber, com o apoio de todos os que estavam lá comigo, tudo foi ficando mais fácil. 

Hoje em dia, dou-me bem com a minha "doença", e consegui aceitar, felizmente, desde sempre aquilo que me foi dado .  

De lá para cá, muita coisa mudou, principalmente EU. Descobri o melhor da DT1, conheci novas pessoas, novas histórias, novos diagnósticos, comecei a partilhar as minhas histórias e aventuras com quem me entendia melhor e comecei também a ouvir o mesmo de outras pessoas. Tudo começou a fazer sentido e, hoje não tenho medo de falar quando preciso de ajuda e, o mais importante, não tenho vergonha de ter Diabetes. 

Vocês também não têm de ter medo nem vergonha de nada, leiam, perguntem e pesquisem, é a melhor coisa que podem fazer! 

Força de vontade e determinação não podem faltar, e daí para a frente tudo será como vocês quiserem.

Só depende de nós  

                                                                                                                     Catarina

"Em apenas um momento a tua vida pode nunca mais ser a mesma"